ACESSÓRIOS GALVANIZADOS JUNTA RÁPIDA

 Casquilho F Fig.740 Casquilho M Fig. 746

União dupla Fig. 770

Joelho simples Fig. 790

Tê simples Fig. 730 Tê Redução Fig. 730R
Anilhas de substituição Fig. 700A-700P   Peça Substituição Fig. 700G  Tapa Poros Longo Fig. 710  Tapa Poros Curto Fig. 715  Tomada de derivação Fig. 720

ACESSÓRIOS GALVANIZADOS JUNTA RÁPIDA FLANGEADOS

 Casquilho F Flangeado Casquilho M Flangeado

União simples Flangeada

Tê Flangeado

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS JUNTA RÁPIDA

As "Juntas Rápidas" estão especialmente desenhadas para ligar tubos de extremos lisos mediante união mecânica por compressão segundo a norma DIN 3387-1(01.1991). Constituídas por um corpo base e uma porca de aperto convenientemente montados através de elementos de adaptação internos (junta elastomérica, anilha e anel metálicos), a estanquídade consegue-se pela compressão da junta elastomérica com a anilha e o anel metálico, o qual, por sua vez, realiza a função de sujeição do extremo do tubo evitando a extracção do mesmo.Nota: nos Joelhos, Tês e Tês de Redução os elementos de adaptação internos são constituídos por uma Junta Elastomérica NBR e uma Gola de polietileno para prevenir a torção da junta elastomérica quando se aperta a porca. O corpo base e a porca de aperto são de fundição maleável de acordo com as normas europeias EN. A galvanização realiza-se a quente, isto é, por imersão da peça num banho quente de zinco puro. Todos os corpos base e porcas de aperto são submetidos a um ensaio de estanquidade mediante a aplicação de uma pressão pneumática superior a 5 bar. A junta elastomérica é em Acrilo Nitrilo Butadieno NBR/A80 segundo DIN 3535-3 (04.1986) a anilha e o anel metálico são fabricados a partir de aço normalizado.

CERTIFICADOS: Tanto as Juntas Rápidas como o componente de estanquidade, "Junta elastomérica", foram ensaiados e aprovados pela DVGW e pelo KTW para serem usados em instalações de gás e água, tanto sanitária como alimentar. Junta Rápida EO:
Nº. Reg. DIN-DVGW NG-4502AT0444. 
Junta elastomérica NBR:Nº. Reg. DIN-DVGW NG-5113AT0173 .

CONDIÇÕES DE TRABALHO: Na condução de água potável e sanitária, gases especificados na folha técnica da DVGW-G260, (gás natural, gás de cidade, gases de petróleo liquefeitos GPL), ar, óleos e hidrocarbonetos, (gasolina, gasóleo, etc.), a temperaturas entre -10ºC a +80ºC. Nos modelos direitos:   - Gás a 4 bar, excepto para DN 65 a 1 bar nos modelos 740 Rp e 746 R.   - Água e outros fluídos a 16 bar.
Nos modelos joelhos e tês:    - Gás a 4 bar.    - Água e outros fluídos a 10 bar. Em tubagens de plástico, a pressão máxima permitida é a nominal do tubo utilizado.
Para outras aplicações aqui não tratadas, consultar o fornecedor ou o fabricante.

CERTIFICADO DE INSPECÇÃO: A pedido do cliente e préviamente acordado com este, poderá ser emitido um certificado de Conformidade de acordo com a EN 10204, 2.1 ou 2.2.

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS TAPA POROS

Foram especialmente desenhados para reparar de maneira rápida e simples, com um custo mínimo, tubos que apresentem fugas por gretas, poros, corrosão, etc.

Dadas as características dos materiais empregues, os Tapaporos <EO> são aptos para trabalhar com águas, tanto sanitárias como potáveis, óleos, hidrocarbonetos (gasolinas, gasóleos...) etc., a pressões até 16 bares e temperaturas de -20ºC até +80ºC.

COMPONENTES/MATERIAIS

1.  2 Corpos: Fundição maleável de coração branco GJMW 400-05,      segundo EN 1562, galvanizados. (1) 2.  1 Junta de estanquidade: Borracha em nitrílico, apta para águas sanitárias e      potáveis, e para uma multiplicidade de fluídos. 3.  4 Parafusos sextavado interior M10:Aço conforme DIN 912-8.8 galvanizados. (1) 3.  4 Parafusos sextavado interior M10: Aço conforme DIN 912-8.8 galvanizados. (1) Galvanizado: Tanto os corpos como os parafusos, são protegidos      contra a oxidação mediante uma zincagem passiva isenta de crómio.  

Powered by WebExpress